teste

Mensagem da célula IBN 05/11/2018

VIDA DEVOCIONAL: NECESSIDADE ESPIRITUAL

Texto Básico: Ap 2:1-7
Versículo para memorizar: “Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.” (Ap 2:4)

O Livro de Apocalipse foi escrito pelo Apóstolo João. Este encontrava se na Ilha de Patmos quando recebeu da parte do SENHOR a revelação desse Livro. No capitulo 2 ao 3 de Apocalipse encontramos a revelação do SENHOR referente a Igreja, na qual, forma um conjunto de sete cartas. Nessas cartas, o SENHOR, não somente se identifica para cada igreja, como também conhece as obras de cada um. E a primeira carta refere-se à igreja de Éfeso.

No contexto histórico, Éfeso existiu. Assim, como as demais igrejas (Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia, Laodiceia). Elas estão no lugar que chamamos hoje de Turquia.
No contexto espiritual, as cartas às igrejas é uma exortação para nós hoje, para que não abandonemos o primeiro amor; que sejamos fiéis ao SENHOR; para que vençamos a religiosidade, a carnalidade, a apostasia.

Para a Igreja de Éfeso, o SENHOR se apresenta como “Aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro.” Castiçais de ouro: significa a Igreja. Cristo é a centralidade; Cristo é o centro. Cristo é Aquele que movimenta na Sua Igreja. Cristo é Aquele que conhece a Sua Igreja. Cristo é Aquele que coloca a Sua Igreja na palma da Sua mão. O SENHOR também diz que conhece as suas obras, porém tem algo contra ela: “…que deixaste o primeiro amor.” A palavra amor nesse contexto não está se referindo ao amor entre um homem e uma mulher, mas o amor Ágape, que é o próprio Deus. O amor ao nosso SENHOR. E Jesus Cristo é a expressão exata de Deus Pai; É a expressão exata desse Amor. Esse amor é ELE, Aquele que é o Primeiro e o Último; Aquele que tem olhos de fogo e os pés de bronze; Aquele que abre e ninguém fecha, fecha, e ninguém abre; Aquele que tem a espada afiada de dois gumes; Aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas, o Nosso Senhor Jesus Cristo.

Éfeso era uma igreja que servia ao SENHOR, perseverante, fiel, mas que abandonara o primeiro amor. Nesta carta, o SENHOR está reprovando essa igreja com tantas virtudes. E nós? Que cada um pergunte para si mesmo; como está a minha vida relacional com Deus?

A nossa vida relacional com o SENHOR precisa ser fervorosa, independente das circunstâncias. Voltemos os nossos olhos para vida de Moisés. Ele conduziu um povo no deserto, rumo a Canaã. No entanto, apesar das dificuldades, ele viveu uma vida relacional com Deus.

Se olharmos para a vida de Moisés com olhos naturais, corremos o risco de pensar que ele não fora abençoado devido à vida que viveu no deserto conduzindo aquele povo para terra de Canaã. Mas Moisés era um homem que tinha relacionamento com Deus. Em Dt 30:10 diz:
“E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem o SENHOR conhecera face a face.”

Moisés tinha intimidade com Deus a ponto de dizer ao SENHOR: “Se a tua presença não for conosco, não nos faça subir daqui.” Essas palavras ditas por Moisés são fortes. Parafraseando é como se ele falasse: Se a tua presença não for comigo, não tem sentido viver em uma terra de fartura. O que adiante ter as bênçãos e não ter o dono da benção na minha vida. Isto nos leva a refletir se o nosso coração anela verdadeiramente pela presença do SENHOR, se estamos dispostos a prosseguir na caminhada cristã recebendo as bênçãos sem se importar em desfrutar da presença de Deus.

Muitos cristãos preferem prosseguir a Canãa sem se importar se a presença Deus está ou não na sua vida. Está dando certo viver dessa forma, está dando certo liderar dessa forma, está dando certo, estou tendo resultado. Preferem prosseguir a caminhada cristã recebendo a bênçãos celestiais, sem desfrutar, sem relacionar com o do dono da benção.

Em Lc 10:38-42 é narrado a atitude de duas irmãs: Marta e Maria quando recebem a visita de Jesus em sua casa. Marta é retratada como alguém ansiosa com os afazeres do dia a dia; Porém, Maria é alguém que soube descansar no SENHOR, alguém que valorizou o tempo de comunhão com o SENHOR JESUS. Hoje, o SENHOR continua convidando para o relacionamento íntimo com ELE. Todos nós temos a necessidade de uma intimidade com SENHOR, não importa se você é juvenil, adolescente, jovem, adulto, idoso, solteiro ou casado. Todos nós precisamos relacionar com o SENHOR.

Mas, o que pode nos levar a não ter uma vida devocional ao SENHOR?
● Priorizar as coisas seculares. Na nossa vida terrena sempre aparecerá algo que tenta nos levar a priorizar, a dar mais valor que as coisas espirituais. Jesus disse que não devemos ficar preocupados com o que vestir, com o que comer, mas que busquemos em primeiro lugar o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas (Mt 6:19-34)
● Falta de prazer na leitura bíblica. Ler a bíblia por obrigação, mas não na busca de um alimento espiritual, na busca de receber revelação do Espirito Santo. Em 1Reis 19:5-8, o profeta Elias depois de derrotar os profetas de Baal no monte Carmelo fugiu para o deserto com medo da rainha Jezabel. Lá, o profeta sentou-se debaixo do pé de Zimbro, pediu a morte, mas enquanto dormia, esperando a morte apareceu um anjo, trazendo consigo pão e água para dar vida e forças a Elias, a fim de que ele fosse encontrar com Deus no monte Horebe. Ao comer do pão e beber da água suas forças se renovaram para que pudesse cumprir a missão que Deus confiara a ele. Elias foi alimentado pela comida celestial. Alimentar da Palavra, Cristo é a Palavra, o Verbo de Deus que se fez carne. Quando o cristão deixa de buscar o alimento espiritual ele enfraquece na fé.
● As dificuldades. Dificuldades todos passarão. Mas quando permitimos que elas se tornem prioridade em nossa vida e nos esquecemos de descansar no Senhor, estamos jogando água no fogo do primeiro amor.
● Sonhos frustrados. Quando os nossos sonhos são frustrados, a primeira atitude é deixar de acreditar e corremos o risco de enfraquecer na fé.

O SENHOR nos exorta a voltarmos a uma vida devocional a ELE, a termos uma vida relacional com ELE. Se Éfeso, uma igreja modelo no início do século I, da igreja primitiva, fora repreendida porque abandonaste o primeiro amor, e o que diremos de nós hoje, que se passaram vinte séculos?

Jesus diz Apocalipse 2:7 que: “…Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.”

Vencer nessa experiência de Éfeso, é não abandonar o primeiro amor. Nós não devemos descuidar, não podemos nos acomodar. Não é porque somos abençoados que não precisamos buscar dia a dia o nosso relacionamento com o SENHOR, independente das circunstâncias. Como igreja, não podemos perder o nosso testemunho em casa, no trabalho, a onde tivermos, o nosso testemunho a Cristo deve se manifestar.

Tudo o que o diabo quer é que tenhamos uma vida cristã medíocre. Mas Deus quer nos levar para uma vida plena. Uma vida para dentro Dele. Para que sintamos gozo, satisfação, força, segurança na presença Dele. Que possamos permitir ser tocado por ELE constantemente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.